As mãos negativas – II

Nossas mãos se tocam dentro de um espelho, As luzes que refletem são vermelhas. Só através de um espelho o amor é possível, Lá fora perguntas possuem maior libido. Não te conheço, você também não. Nos encaramos assustados e céticos E nos perguntamos se realmente queremos amor, Até os nossos olhares se desviarem Para as…

Possibilidades – Wislawa Szymborska

Prefiro o cinema. Prefiro os gatos. Prefiro os carvalhos sobre o Warta. Prefiro Dickens a Dostoiévski. Prefiro-me gostando das pessoas do que amando a humanidade. Prefiro ter agulha e linha à mão. Prefiro a cor verde. Prefiro não achar que a razão é a culpada de tudo. Prefiro as exceções. Prefiro sair mais cedo. Prefiro…

Nenhuma outra estação

Espalharam amor próprio como se espalham lendas. Amor próprio resolve tudo enquanto os demais amores se consumam em ruínas e misticismo. Ao passo que o ego, diabo dos princípios que nos regem, esbarra nos ombros do mundo e não pede desculpas pela colisão.

Nossa truculência – Clarice Lispector

Quando penso na alegria voraz com que comemos galinha ao molho pardo, dou-me conta de nossa truculência. Eu, que seria incapaz de matar uma galinha, tanto gosto delas vivas mexendo o pescoço feio e procurando minhocas. Deveríamos não comê-las e ao seu sangue? Nunca. Nós somos canibais, é preciso não esquecer. E respeitar a violência…

Um amor feliz – Wislawa Szymborska

Um amor feliz. Isso é normal, isso é sério, isso é útil? O que o mundo ganha com dois seres que não veem o mundo? Enaltecidos um para o outro sem nenhum mérito, os primeiros quaisquer de milhões, mas convencidos que assim devia ser – como prêmio de quê? De nada; a luz cai de…

Carta de novembro – Sylvia Plath

Amor, o mundo De repente muda, muda de cor. A luz da rua Perpassa por entre as vagens do laburno Que lembram a cauda dos ratos, às nove da manhã. É o Árctico. Este pequeno círculo Negro, com estas trigueiras e sedosas ervas – cabelo de bebé. Há uma cor verde no ar, Suave, voluptuosa,…

É uma pena que Poe não pode mais escrever isto

Poe adoraria ter escrito sobre o sonho que tive há poucos anos, voando sobre um lago preto onde uma imensa árvore da mesma cor, fundida, saia de dentro do lago, atravessando aquelas águas. Poe gostaria de ter escrito todo o terror psicológico que se passou e de ter relatado a queda do corpo às águas…

A soma de todas as lágrimas é igual a ninguém

Lágrimas? São só a ponta de icebergs emocionais. O seu restante se encontra distante, nas profundezas do silêncio, essa repercussão maligna marcada por ultrajes de abandono onde os egos, intolerantes com os seus ferimentos no delírio da arrogância calam-se.

Olhos de mergulho

Teus olhos refletidos em pedregulhos fosforescentes, formavam uma curiosa fotografia da superfície de um lago transbordando poeiras entulhadas há tempos, um retalho de orgulho, típico das guerras. Por um instante, notei no reflexo um conselho oculto era o seu evangelho de andarilho confuso articulando o retorno do teu olhar vindo distante do meu que já…

Uníssonos latentes

Desdenho qualquer desejo prepotente que permanece de tocaia, sustentando teorias de que posso estar certa. Deus não me deu asas justamente para eu não me confundir com os pássaros. Para eu ser estúpida e racional, para eu ser terrestre e não fugir pelo ar, trepar com feudos, os propósitos da vida, ter orgasmos racionais donde…

Descobertas de Fevereiro — Maio + playlist

No fim de fevereiro, ouvi your best american girl pela primeira vez e logo de cara, me viciei. Não sendo muito difícil depois, procurar outras músicas do mesmo artista pra checar se não seria aquela a única música que realmente gostei. E foi então que, a Mitski, se tornou a artista mais ouvida nesse ano…

Os que amaram

Conheci você na subtração dos anos. No auge da época vulgar, em que feitiços de amor e afeto são quebrados imperativamente em algum lado. O pior não é a permanência se tornar uma palavra absolutamente desmistificada; Nem os sentimentos, aqueles que sempre sobram, os resistentes, defendendo as lembranças muito mais que a si mesmos, debaterem…